Espetadas de frango e abacaxi com couscous de espinafres

A primavera começou devagarinho, no domingo choveu bastante na margem sul, ontem esteve um sol espectacular por Lisboa, até que ela se decida se vem ou não para ficar, trago uma receita mais colorida que o habitual para nos irmos ambientando ao bom tempo que em breve chegará.

Há dias comprei um abacaxi e achei que mais uns 3 dias na fruteira ia directo para o lixo, tenho sempre uma grande dificuldade em comprar abacaxi, ou está demasiado verde ou quase bom... mas uns dias na fruteira dá cabo dele. Não tenho hábito de o congelar por isso, lembrei-me de fazer estas espetadas para recordar os dias de verão. 

Infelizmente esqueci-me de fotografar o molho de iogurte e hortelã que fiz para as espetadas. É o que dá ter como ajudante fotográfico alguém que está sempre com alguma pressa de comer. Mas caso recriem esta receita, façam-no que fica muito bom.


Ingredientes: (2 pessoas)
Grelha grill redonda  da Le creuset

Espetadas: (6 unidades)
2 fatias de abacaxi (quadrados de 3 cm)
2 peitos de frango sem pele e osso
2 colheres de especiarias da paella
flor de sal fumado Salviking q.b.
1 fio de azeite

Couscous:
250g de couscous (grão médio)
100g de espinafres em folha
25g de coentros frescos (1/2 molho)
2 dentes de alho
350ml de água a ferver (adicionada por 3 vezes)
flor de sal fumado Salviking q.b.
Pimenta e mostarda em grão moída na hora q.b.
1 fio de azeite

Frutos secos com especiarias:
2 colheres de sopa de amendoim sem sal
2 colheres de sopa de caju sem sal
1 colher de café de gengibre em pó
1 colher de café de coentros em pó

Molho de iogurte e hortelã:
1 iogurte grego natural
1 colher de sopa cheia de hortelã picada (fresca)
1/2 colher de sopa de sumo de limão
1/2 colher de sopa de mel
flor de sal fumado Salviking q.b.
pimenta q.b.


Uns 20 minutos antes:
Comece pelas espetadas, corte os peitos de frango em cubos, coloque num pirex juntamente com as especiarias e um fio de azeite e deixe a marinar.

Corte o abacaxi em cubos (com tamanho aproximado ao frango) e forme a espetada alternando o frango com o abacaxi, grelhe numa grill anti-aderente de todos os lados.

Os frutos secos, basta colocarem ao lume numa frigideira anti-aderente com as especiarias e deixar tostar ligeiramente, sem deixar torrar e reserve.

Para o couscous, numa panela coloque um fio de azeite, os dentes de alho, as folhas dos espinafres e refogue tudo 1 minuto. Transfira para uma liquidificadora - quem tiver uma Bimby faça logo tudo lá e junte os coentros e a água a ferver. Triture tudo muito bem até que fique uma espécie de sumo bem liquido, coe para que alguns dos fios dos coentros sejam separados e tempere com flor de sal, pimenta e mostarda em grão moída.


Numa tigela larga coloque e divida o sumo em 3 partes. Regue o couscous com a primeira parte, tape a tigela, espere uns 3 minutos e assim que o sumo seja absorvido pelo couscous, mexa delicadamente com um garfo e adicione a segunda parte. Espere novamente 3 minutos, volte a mexer com o garfo, prove, caso esteja cozido, ignore a terceira parte de sumo. O tempo de cozedura vai depender muito da temperatura do sumo de espinafres, por isso é que eu achei melhor dividir em três, para evitar que o couscous fique demasiado cozido. Também vai depender um pouco, do tipo de grão de couscous que estão a usar e se tapam ou não muito bem a tigela. O ideal é estarem de "olho" enquanto o processo todo.

Para o molho de iogurte, coloque as folhas de hortelã já grosseiramente picadas num almofariz, com o sumo de limão e esmague tudo muito bem para que as folhas fiquem em liquido. Adicione ao iogurte e envolva, para que o iogurte fique o mais liquido possível, tempere a gosto e sirva por cima das espetadas ainda quentes.

Eu ainda temperei um abacate com flor de sal e um fio de azeite.


Risotto de vieiras e limão






Adoro risottos, penso que nunca comi um que não gostasse, seja de que for. O primeiro risotto que fiz para o blog, foi uma receita do Jamie Oliver - um risotto de camarão, onde o Jamie substituía o queijo parmesão, por sumo de um limão. Reparo agora, que passados estes anos nunca mais me tinha lembrado de fazer esta substituição. Mas há dias, olhei para o congelador e encontrei estas vieiras pequeninas que tinha trazido das férias e lembrei-me deste post velhinho. O limão faz toda a diferença, dá um sabor muito fresco ao risotto, e com marisco esta substituição é fabulosa, experimentem.

Uma boa semana para todos!




Ingredientes: (4 pessoas)
1/2 aipo
3 alhos
azeite
250g de vieiras (usei das pequenas congeladas)
cerveja q.b.
1 colher de sopa de margarina (usei liquida Vaqueiro)
Coentros q.b.
sumo de 1/2 limão grande

Caldo:
raspa de 1 limão
1 litro de água
1/2 talo de aipo 
1 colher de chá de sementes de coentros
1 pitada de flor de sal de limão
5 talos de coentros
1 cebola partida em 4
2 dentes de alho inteiros (sem casca)
1 fio de azeite

20 minutos antes de começar o risotto, prepare o caldo. 
Coloque a água ao lume com todos os ingredientes e deixe ferver. Depois ferver uns 10 minutos coloque em lume mínimo e mantenha assim até finalizar o risotto.

Num tacho comece por colocar um fio de azeite, os alhos picados e o aipo partido em pedaços pequenos. Deixe refogar um pouco e logo de seguida adicione o arroz, deixe "fritar" um minuto, sem deixar de mexer e adicione a cerveja a gosto. Deixe evaporar o álcool da cerveja e deite uma concha do caldo, mexa mais um pouco, deixe evaporar a água e junte outra concha de caldo, assim sucessivamente até o arroz estar cozido e bastante cremoso. Uns 5 minutos antes de desligar, adicione as vieiras, mexa suavemente para não as esmagar e não as deixe cozer demasiado. 


Verifique o sal e para que fique ainda mais cremoso, adicione a manteiga liquida, mexa delicadamente e sirva imediato, sem esquecer do sumo de limão por cima, as raspas do mesmo (se 
gostar) e um molho generoso de coentros .


Pão rápido







Adoro pessoas divertidas, adoro estar num jantar e rir do princípio ao fim. Rir de coisas parvas, de mim própria, dos outros ou simplesmente rir do nada. Considero-me uma pessoa divertida e tenho a sorte de viver com outra igualmente divertida, poucos são os dias que não nos rimos de coisas sem sentido, se calhar é por isso que nos vamos mantendo ao fim de tantos anos.

Esta conversa de pessoas divertidas tem um sentido, até porque já a devia ter tido algum tempo. Hoje trago uma receita que retirei deste canal do YouTube. Um canal de duas amigas de infância extremamente divertidas e muito criativas que se calhar muitos de vocês já devem conhecer.

A Cristina já a sigo algum tempo, frequentámos a mesma faculdade apesar de nunca termos tido contacto, mas temos uma grande amiga em comum. Sigo o trabalho dela ainda do tempo em que a Girlythings era apenas um blog de frases e ilustrações bonitas com um design único e um humor apurado. Agora é uma marca com muito sucesso, o que me deixa muito feliz. Mas dela falarei uma próxima vez.

A Rita chegou um pouco mais tarde mas veio para ficar, o canal La dolce Rita tem vídeos muito engraçados e com grandes dicas de culinária, passem por lá, aposto que se vão divertir!

Quando vi no instagram de ambas a publicação de um pão que não precisava de amassar e levedar, fiquei logo em alerta e assim que publicaram a receita no blog, preparei os ingredientes e em 40 minutos tinha um pão fantástico na minha cozinha. Acreditem que é mesmo super fácil de fazer e bastante saboroso. A minha mãe, que ainda é do tempo em que se fazia o pão da maneira mais tradicional possível, ficou maravilhada com a simplicidade desta receita.






Antes de partilhar a receita, gostaria de fazer um agradecimento especial à loja DeBorla, por todos os utensílios que me facultaram para fazer este post. Sempre adorei esta loja e foi uma grande surpresa quando soube que tinha aberto uma mesmo ao pé da minha casa. 

Para quem gosta de coisas boas e com um preço muito em conta o De Borla é uma verdadeira perdição. Já tinha mostrado aqui as formas dos canelés de Bordéus de um post recente, que também foram comprados de lá.


Ingredientes:
350g de farinha sem fermento
30g de açúcar (1 colher de sopa cheia)
1/4 de colher de chá de sal fino
2 colheres de chá cheias de fermento para bolos
2 iogurtes naturais (250g no total)
80g de manteiga derretida
leite q.b. para pincelar.
doces a gosto q.b.

Junte todos os ingredientes numa tigela e mexa com uma colher ou com as mãos se conseguir formar uma bola. Não deve bater a massa, deve apenas mexer até a massa se unir.

Transferir para um tabuleiro de forno forrado com papel vegetal (ou untado e enfarinhado) e formar um disco, uma forma arredondada com a massa, com cerca de 3 dedos de altura.

Dar dois golpes em cruz com cerca de 1 cm de profundidade, com uma faca de serra, para a massa abrir no forno e facilitar a cozedura. Pincelar com um pouco de leite para dar um brilho à crosta.

Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante 20-30 minutos. Pode espetar um palito no meio para verificar a cozedura como se fosse um bolo. Se o pão estiver a ficar muito escuro mas ainda não estiver cozido, cubra com um pedaço de papel alumínio.

Retire do forno e coma quente ou frio.

Dica da La Dolce Rita: Pode usar esta receita para fazer uma versão de pão doce (com passas, raspas de laranja, canela, pedaços de chocolate, nozes, etc) ou mais salgada (com queijo ralado, ervas aromáticas, alho, bacon, etc).


Brownies de cacau



Neste blog poucas são as receitas que levam chocolate negro, como eu não gosto, acabo por não fazer e o meu marido para além da tradicional mousse de chocolate, pouco mais me pede. No entanto sei que o chocolate como sobremesa é sempre aprovado em todas as casas, praticamente todas as pessoas gostam ou aliás, deliram. 

Foi o caso desta receita, queria levar algo de chocolate para um almoço fora, algo que desse para transportar com facilidade e para chegar ao destino em perfeitas condições. Lembrei-me destes brownies, de um blog que adoro e que já sigo há largos anos, valeu a espera porque ficaram muito bons. Mesmo não sendo grande fan de chocolate, provei e posso dizer que gostei bastante, em casa do convidado ainda os coloquei no forno uns minutos para serem servidos quentinhos, eu adoro o contraste do quente com a frescura do gelado, por isso levei também dois gelados para acompanhar.



Obrigada mais uma vez à Le creuset, pela ajuda preciosa que tem dado à minha humilde cozinha com tantos utensílios maravilhosos.

Ingredientes:(16 brownies) - receita retirada do blog Technicolor Kitchen
140g - de margarina liquida Vaqueiro
200g de açúcar mascavado
80g - de cacau light, sem adição de açúcar
¼ colher de chá de sal
½ colher de chá de extracto de baunilha
2 ovos grandes 
70g de farinha de trigo
74g de avelã picadas 

Pré-aqueça o forno a 160°. 

Unte com margarina uma forma quadrada de 20cm, forre-a com papel alumínio deixando um pouquinho para fora da forma, formando “alças” de 5cm. Unte o papel com vegetal, mas não as “alças”. Reserve.


Coloque a manteiga em uma tigela média e leve em banho-maria até derreter. Acrescente o açúcar e o sal e misture bem. De seguida, acrescente o cacau em pó e misture até obter uma massa homogénea e quente. Retire a tigela do banho-maria e deixe arrefecer.


Adicione a baunilha e misture com uma espátula de silicone. Acrescente os ovos, uma um, mexendo vigorosamente a cada adição – quando a massa estiver espessa, brilhante e homogénea, junte a farinha e misture tudo muito bem. Acrescente as avelãs e espalhe a massa uniformemente na forma preparada.

Coloque no forno por 20-25 minutos ou até que o palito mergulhado no centro do brownie saia húmido com um pouquinho de massa. Deixe arrefecer completamente sobre uma grelha.

Retire o brownie do tabuleiro com o auxílio das “alças” de papel alumínio e corte em quadradinhos (16 ou 25). Remova o papel com cuidado.

Sirva simples com um chá  para um lanche ou como sobremesa ainda quentes e junte-lhes um gelado.

Sopa de lentilhas e quinoa


Em casa dos meus pais era raro o dia em que não havia sopa ao jantar, eu confesso que nunca fui grande admiradora, tentava sempre escapar à sopa mas como todas as crianças nem sempre tinha sorte. Cá em casa como ainda não há crianças, a sopa só existe aos fins de semana e é quase sempre o nosso jantar no domingo à noite, agora já gosto mais de sopa mas confesso que há coisas melhores para comer na vida.

Opto quase sempre por cremes ou algo mais leve, mas com este frio que se tem sentido ultimamente só me dá vontade de fazer esta espécie de sopas que quase se parecem com uma refeição, sopas fortes à moda do norte, como diz a minha mãe. 

Com ajuda do super mercado Brio, desta vez preparei uma sopa vegetariana e inteiramente biológica. Todos os ingredientes que usei podem ser encontrados em qualquer uma das lojas Brio. A minha preferida é a do Chiado, porque uma ida lá acaba sempre com uma escapadela à Bertrand e outra ao Santini :) Mas agora existe um novo em Picoas, que até fica bem mais perto do meu trabalho e cada vez que lá vou, é quase impossível sair de saco vazio. Desta vez, fiquei muito admirada ao encontrar nos frios carne fresca, não sei se já existe algum tempo, mas eu nunca tinha reparado e é sempre bom saber destas coisas. Porque muitas pessoas pensam que quem frequenta este tipo de super mercados são mais os vegetarianos. Eu por exemplo, não sou e frequento com alguma regularidade, porque os legumes são óptimos e têm sempre coisas diferentes, inclusive a chamada fruta feia e perfumada que não se encontra nas grandes cadeias nos dias de hoje, infelizmente.

Aqui vai a receita e votos que o bom tempo volte e com ele as refeições de cores mais alegres.


Ingredientes: (6 pessoas)
1 cebola roxa
1/2 talo de aipo
2 dentes de alho
2 tomates maduros e pelados
1 alho francês (parte branca)
1 nabo
200g de lentilhas
100g de quinoa 
1 colher de chá de coentros em pó
1 colher de chá de paprika doce
1 colher de pasta de tomate concentrado (opcional)
sal (usei flor de sal de aipo)
200g de cogumelos marron
q.b. tomilho fresco

Numa panela grande coloque um fio de azeite, a cebola roxa cortada às rodelas, 2 dentes de alho picados, o talo de aipo cortado em pedaços pequenos e deixe refogar em lume brando com a tampa uns 5 minutos. 

Adicione o tomate cortado em pedaços grosseiros, sem a pele e deixe refogar mais um pouco (caso sinta que está um pouco seco, adicione uma concha de sopa cheia de água), deixe refogar mais uns 3 minutos e adicione o alho francês cortado às rodelas. Volte a tapar a tampa, regue com um pouco de água (até cobrir os legumes) e deixe cozinhar em lume brando, com a tampa mais uns 5 minutos.

Se sentir que o tomate não é suficiente maduro e não se desfez na perfeição, com ajuda de um esmagador de batata manual, pressione o tomate e deixe que se desfaça por completo. 

Entretanto corte o nabo em cubos bem pequenos e adicione ao caldo juntamente com as lentilhas e cubra com água (pelo menos 3 dedos a mais que os legumes) - porque as lentilhas vão absorver muita água à medida que vão cozinhando. 



Nesta fase pode temperar a gosto. Eu usei flor de sal de aipo para intensificar um pouco mais o sabor, coentros em pó e a paprika porque adoro o toque fumado que dão, e para dar mais cor, usei um pouco de pasta de tomate - mas se gostar da cor assim, passe à frente este passo. Nesta fase também adicionei um pequeno raminho de tomilho fresco porque gosto muito da frescura que dá aos cozinhados. Deixe cozinhar lentamente, sem deixar de ir mexer de vez enquanto.

Quando as lentilhas e o nabo estiverem quase cozidos, adicione a quinoa (e um pouco mais de água caso seja necessário), deixe cozinhar mais um pouco, rectifique os temperos e 5 minutos antes de desligar adicione os cogumelos partidos ao meio, não os deixe cozinhar muito.

Sirva bem quente com com mais umas folhinhas de tomilho fresco.